Qual é a razão por que você trabalha?

Por que você trabalha? Dinheiro, sucesso profissional ou puramente prazer?

Mesmo que cada pessoa possua um motivo pessoal, tudo se resume a sobrevivência.

por que você trabalha

Sim, você e eu trabalhamos para que outras pessoas sobrevivam. E médicos, professores, dentre outros, trabalham para que nós sobrevivamos.

Repare que dependemos da polícia, dos hospitais, do supermercado, de restaurantes, de farmácias e entre outros.

O ser humano se organiza em indústrias, escolas, prefeituras, secretarias para atender as necessidades de sobrevivência uns dos outros.

Esta é uma perspectiva bastante ampliada sobre a questão, mas necessária para compreendermos o objetivo do trabalho humano que nada mais é do que satisfazer as necessidades de todos nós.

Portanto, a única razão pela qual você trabalha é porque alguém precisa do resultado do seu trabalho e você precisa do resultado do trabalho de alguém.

Sempre que o resultado do seu trabalho satisfaz as necessidades das pessoas ele agrega valor. O cliente, seja interno (chefia) ou externo (cidadão), paga por aquilo que ele percebe valor.

No serviço público o cidadão é obrigado a pagar por um serviço, não pode escolher fornecedores, mas sua satisfação acontece quando ele compara o benefício recebido, e percebido, com o valor pago.

Quanto mais características, apreciadas pelo cliente, um produto ou serviço consegue entregar, mais satisfeito o cliente ficará.

Isso se dá tanto na relação de cliente externo (cidadão) como com o cliente interno (chefia imediata, subordinados etc…).

Um exemplo prático seria assim: seu chefe pode ficar mais ou menos feliz com o resultado do seu trabalho, tudo depende de quantas características, apreciadas pelo seu chefe, o resultado do seu trabalho possui.

Como é conhecido o seu trabalho dentro de uma organização?

É comum as pessoas conhecerem uma as outras, em uma organização, pelo setor, cargo ou atribuição daquele(a) profissional.

Assim temos a Joana do RH que faz folha de pagamento, o Pedro do financeiro que faz pagamento de fornecedor, o João Diretor Administrativo e o Ronaldo gerente de informática.

Embora seja mais fácil fazer este tipo de denominação para identificar as funções de cada um na organização, ela não é a forma mais apropriada de definir todo o trabalho dentro de uma empresa/organização.

As pessoas trabalham exercendo funções dentro de uma estrutura hierárquica ou estrutura de cargos. Função é diferente de cargo.

Função é o que cada um faz. Ela é o tipo de trabalho que eu e você exercemos na organização.

Existem 4 tipos de função:

  • Função de operação;
  • Função de supervisão;
  • Função de gerenciamento, e;
  • Função de direção.

Essas funções são divididas em duas categorias:

  • Gerenciais;
  • Operacionais.

Isso quer dizer que alguém pode ter um cargo e desempenhar várias funções ou, pode ocorrer de vários profissionais trabalharem em cargos diferentes e exercerem a mesma função.

Vejamos dois exemplos:

Exemplo 1: João possui o cargo de coordenador de logística, mas desempenha duas funções: a primeira é a função operacional quando cumpre o procedimento padrão da sua área para garantir a correta remessa de mercadorias. A segunda é a função de gerenciamento quando ele controla semanalmente o índice de atrasos das entregas e estabelece metas para sua equipe.

Exemplo 2: Joana é gerente de RH (função de gerenciamento) e Ricardo é Diretor Administrativo (função de direção), ambos estão em cargos diferentes, mas, exercem uma mesma função, a gerencial.

Uma organização pode possuir uma estrutura organizacional muito vertical (muitos cargos de chefia) ou muito horizontal (Poucos cargos de chefia). Mas as funções exercidas por todos os profissionais serão sempre as mesmas:

  • Funções gerenciais: gerenciamento e direção
  • Funções operacionais: operação e supervisão;

Isso pode parecer fácil de compreender, mas na prática, muitos profissionais misturam as funções.

Assim, um profissional pode estar desempenhando uma função de direção ou de gerenciamento, mas, caso fique apagando “incêndios” o tempo todo, pode acabar ficando preso em atividades que são funções de operação.

Por isso, reflita sobre a função que você desempenha em seu cargo atual e mantenha a vigilância.

Por que você trabalha? Tópicos para reflexão

Provoque sua equipe para uma discussão sobre a diferença entre cargo e função. Tente esquecer o cargo que você desempenha e lista juntamente com os demais a quantidade de funções que você exerce ao longo do dia.

Quantas pessoas do seu setor (coordenação, sub gerência, gerência ou diretoria) exercem na maior parte do tempo funções operacionais? Qual o percentual destas funções operacionais sobre o total dos servidores?

Na semana que vem falaremos sobre qual o tipo de trabalho em cada função e o que é necessário fazer para ter fazer um bom gerenciamento da rotina do dia a dia.

Mantenha-se informado

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

Obrigado, um forte abraço e até a próxima oportunidade.

Imagens: Créditos Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *