O fim justifica os meios – A moral do Administrador

Como será que anda a moral do Administrador?

Em um mundo corporativo e em um mercado de trabalho cada vez mais concorridos o que devemos fazer para obter sucesso?

A questão na verdade não é o que devemos fazer, mas, o que podemos fazer.

Quando usamos o verbo devemos temos a impressão de que nos referimos a fazer qualquer coisa para obter o sucesso, não importando se é certo ou errado,

Já o verbo podemos nos remete ao que faremos considerando apenas o que é certo, ou permitido fazer.

Mas, isso tudo diz respeito ao que é certo ou errado para quem?

 

Sua Moral, suas escolhas

Neste artigo não estamos falando sobre ética, estamos falando sobre moral.

Se fosse sobre ética, as atitudes em questão seriam avaliadas como certas ou erradas de acordo com a opinião da sociedade.

Como o artigo é sobre a moral do administrador, as atitudes devem ser questionadas como certas ou erradas sob o seu ponto de vista.

Isso porque a moral se refere ao conjunto de valores intrínsecos.

São comportamentos que o individuo tem quando não há ninguém presente para fiscalizá-lo.

Moral não tem relação direta com fiscalização, controle ou punição.

 

Condutor Ético x Condutor de Boa Moral.

Imagine você dirigindo uma Ferrari em uma estrada reta, bem sinalizada e com um asfalto perfeito.

Só que a velocidade máxima da via é 110 km/h.

Um condutor ético respeitaria as regras da via sempre que se aproximasse de locais com fiscalização.

Já um condutor com boa moral respeitaria as regras durante todo o trajeto, independente de fiscalização.

Na rotina de trabalho o administrador é exposto à situações de conflitos pessoais, à informações sigilosas sobre o mercado ou a empresa em que trabalha, movimentações financeiras e etc.

E todo dia deve decidir o que fazer com essas situações. Como deve se comportar, que decisões tomar.

Essas decisões vão depender diretamente de sua moral.

O Código de Ética do Administrador traz uma lista dos comportamentos esperados de um administrador.

Traz inclusive possíveis punições para o descumprimento das regras estabelecidas no Código.

Mas, o que você fará quando ninguém estiver por perto é a sua moral que vai decidir.

Toda corrupção que acontece, pequena ou grande, acontece por desvio de moral de todos os envolvidos.

Um suborno, um dado falso no relatório, uma venda em que apenas os pontos positivos de seu produto sejam falados (e as vezes com um certo exagero), uma fraude.

Não importa o tamanho do erro, é a sua moral que está em questão.

Mesmo que ética e transparência façam parte da visão da maioria das empresas, o foco no resultado acaba sendo a prioridade delas.

E para garantir o resultado esperado pela empresa o administrador fica tentado a cometer alguns pequenos pecados.

Independente das punições que você poderá sofrer caso seja descoberto, antes de tomar qualquer decisão consulte sua moral.

Quem você realmente é?

O que estão te pedindo para fazer está certo ou errado?

Suas decisões são responsabilidades exclusivamente suas.

Esperamos que você tenha orgulho delas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *