Saber ouvir – habilidade fundamental para alavancar sua carreira

Conforme já foi explicado no artigo Habilidades do administrador, é fundamental que saibamos trabalhar em equipe e liderar pessoas.

E para liderar pessoas ou, ao menos, para lidar com pessoas é necessário nos comunicar. Porém, existe algo na comunicação que parece estar sendo deixado de lado. Muita vezes quando estamos nos comunicando com os outros nos esquecemos de ouvir.

Geralmente damos pitaco em tudo, sem nem escutar direto. Quanto mais ouvir, entender, e nos colocarmos do lado da pessoa. Todos têm uma história única. Os acontecimentos têm um contexto que podem fazer toda uma influência em nossas reações e decisões. Temos o costume de analisar tudo muito friamente, como se fosse uma equação matemática.

Não fomos ensinados a ESCUTAR. E temos que saber ouvir para realmente entender as pessoas.

“A maioria das pessoas não consegue escutar com a intenção de compreender. Elas ouvem com a intenção de responder. Elas estão sempre falando ou se preparando para falar. Elas filtram tudo através de seus próprios paradigmas, leem sua autobiografia na vida das outras pessoas.”

Essa é a mais pura realidade. Faça o exercício, tente lembrar a última vez que alguém lhe contou algo. Aposto que uma das duas coisas aconteceu:

  • Ou você a julgou, sem dizer nada, apenas pensando: “nossa eu não faria isso”, “caramba ela fez errado ao agir assim”, …;
  • ou pior, você nem deixou a pessoa terminar de falar e já foi logo ‘despejando’ suas opiniões.

Tá, mas como fazer mudar isso e passar a ser um bom ouvinte? Dominar a habilidade de ouvir pode alavancar carreiras, pois o que precisamos fazer é cumprir metas, alcançar objetivos traçados por nossos chefes, clientes, mercado. E quanto mais aprendermos a ouvir, mais assertivos nós seremos.

Se tornando um bom ouvinte

Então, vamos à prática.

Estou utilizando como base o livro Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes, de Stephen Covey. Mas se você procurar irá encontrar bastante material sobre Escuta Empática. Existem algumas variações mas a essência é a mesma.

A escuta empática é quando você compreende, enxerga o que a outra pessoa vê, do modo como ELA sente, como ELA compreende. Não é concordar com tudo que ela diz, mas compreender. Devemos escutar as pessoas com os olhos e com o coração.

Comece a buscar situações rotineiras em sua empresa e repare como as pessoas te escutam e como você as escuta. Por exemplo, na busca de uma solução para melhorar um processo de trabalho, você consegue realmente ouvir de maneira empática as ideias das outras pessoas?

A escuta empática requer que façamos questionamentos para entender como a pessoa vê/sente/compreende e não fazer apontamentos de como ela deveria agir/sentir/pensar.

Os níveis da conversa

As escuta empática é nível TOP da comunicação eficaz. Mas nem sempre é nesse nível que as conversas ocorrem.

Quando duas pessoas conversam pode estar acontecendo uma das situações abaixo. Enquanto um indivíduo fala o outro:

  1. Está ignorando. Vai me dizer que nunca aconteceu com você?!?! Às vezes percebemos que na verdade não escutamos nenhuma palavra que outra pessoa nos disse. E, também é muito comum identificarmos que o outro está nos ouvindo mas não está escutando nada.
  2. Está escutando de forma seletiva. Ou seja, a pessoa está prestando atenção em parte do que é dito.
  3. Ou, está escutando de maneira concentrada. Realmente prestando atenção em tudo que é dito, mas não no último nível.
  4. Por fim, é quando está ocorrendo a escuta empática. Como dito anteriormente, é quando o outro compreende, enxerga o que a outra pessoa vê, do modo como ela sente, o modo como ela compreende.

Quando não realizamos a escuta empática é comum que tenhamos alguns modos automáticos de respostas, mesmo que não seja verbalizado. Às vezes, são pensamentos que temos enquanto as outras pessoas estão falando com a gente.

E, em nossos pensamentos, mesmo calados, estamos: avaliando, dando conselhos, ou interpretando os fatos com nossos motivos e comportamentos.

Como desenvolver a escuta empática?

Ainda segundo Stephen Covey, para desenvolvermos e praticarmos a escuta empática podemos utilizar os quatro estágios a seguir:

  1. Repetição do conteúdo: podemos repetir mentalmente ou mesmo verbalizar com a pessoa. Isso nos conecta ao conteúdo em si.
  2. Reestruturar o conteúdo: agora passamos a nos expressar da nossa maneira, ou seja, da forma como nós estamos entendendo o que está sendo dito.
  3. Refletir o Sentimento: esse momento para mim é o mais importante. Devemos perceber o que a pessoa SENTE em relação ao que está dizendo. Isso não é fácil, mas é nesse instante que acontece a conexão com a pessoa. Não é o que você sente em relação ao que está sendo dito. É o que a pessoa sente.
  4. Reestruturar o conteúdo + Refletir o sentimento: agora sim, juntamos a restruturação do item 2 com aquilo que a pessoa está sentindo. Isso muda completamente aquilo que você está ouvindo.

Escuta Empática no dia a dia

Ao longo do seu dia, procure utilizar a escuta empática o tempo inteiro. Isso aumentará suas chances de conexões e sucesso, seja nos relacionamentos ou em sua carreira.

Pratique o tempo todo. Observe como você está se comportando. Não fique no “modo automático”. Converse realmente com as pessoas. Caso não possa estar presente, ou seja, realizar a escuta empática, peça para conversar mais tarde com a pessoa.

E, de posse desse conhecimento, observe como as pessoas estão conversando com você. Elas estão te escutando? Caso negativo, provoque-as com perguntas para que elas realmente compreendam o que você quer dizer. Seja claro quanto aos seus sentimentos. Isso aumentará a chance dela ter ao menos uma pequena experiência do que seja uma escuta empática.

Para aqueles mais próximos a nós, aproveite para explicar o conceito de escuta empática. Faça um pacto de sempre terem uma conversa empática, na qual ambos estão realizando a escuta empática. Isso salva empregos, casamentos e amizades.

“Quando procuramos compreender real e profundamente os outros seres humanos, abrimos as portas para soluções criativas e terceiras alternativas. nossas diferenças não formam mais obstáculos para a comunicação e o progresso. Em vez disso, tornam-se auxiliares da sinergia.”

Se você chegou até aqui, espero que tenha realmente me ‘escutado’.

01 grande abraço,

Fabiano


Crédito imagens: Freepick

3 Comentários


  1. Verdade me fez lembrar do conteúdo que aprendi sobre isso quando estava no 1 período, muito interessante.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *