Código de ética do administrador 2018

Bom, se você chegou até aqui é porque quer saber sobre o código de ética do administrador 2018.

Se seu objetivo é obter só o PDF da instrução normativa, no final deste post tem um link para você baixar.

Mas, te aviso, se você ler o código de ética e não entender tudo, não se preocupe, é meio complicado mesmo. Aconteceu comigo também.

Acontece que para você entender o código de ética do administrador, é necessário entender o contexto.

E claro, esse é meu objetivo neste post.

Portanto, fique comigo, leia até o final e depois você faz o download, ok?

Não se aprende ética lendo um código de ética.

Prepare-se, vou te contar uma das histórias malucas que minha vó me contava.

Isso vai nos dar o necessário para entender o principal objetivo de um código de ética.

Então, vamos lá…

Uma mãe viúva prometeu fazer uma camisa para seu filho na data de seu aniversário. Eram muito pobres e mau tinham o que comer.

O aniversário do pequeno se aproximava e a mãe, angustiada sem ter o que fazer, pediu ajuda a uma alfaiate.

O garoto se encarregou de levar o recado para a costureira pedindo-lhe pedaços de retalho para confecção da roupa.

Os retalhos e algo mais

O garoto sabia que sua mãe não possuía as ferramentas necessárias para fazer-lhe uma roupa.

Então, enquanto a senhora alfaiate separava os tecidos, o garoto não se conteve diante de tanta fartura de utensílios para costura e furtou uma agulha.

Já em casa, temendo a reação da mãe, contou que, por uma maré de boa sorte, havia achado justamente o que a mãe precisara para costurar a camisa, uma agulha.

A pobre mãe, conhecendo o seu filho, podia facilmente presumir que ele havia roubado a agulha.

Mas, preferiu não demonstrar desconfiança pelo achado do filho dizendo:

“Que maravilha agora tenho quase tudo que preciso para fazer a camisa, seria maravilhoso que você achasse um carretel de linha”

O garoto, vendo que a felicidade da mãe seria completa se existisse a linha, decidiu voltar a casa da costureira e furtar o carretel. Furtou e retornou.

Checando em casa, disse a mãe:

Por uma maré de pura sorte, encontrei justamente a linha que a senhora precisava.

A mãe lhe respondeu:

Mas que maravilhoso, agora imagina se algum dia você encontra-se uma máquina de costura? Poderia fazer várias camisas e vender.

Novamente, o filho notou que para fazer a mãe feliz deveria providenciar o bem material desejado.

O motivo correto e o meio errado

Depois de alguns dias, o garoto tratou de providenciar máquina de costura.

Esperou a senhora alfaiate sair, entrou pela janela e furtou uma pequena máquina a manivela de mão.

A mãe, sempre demonstrava felicidade e surpresa e não se preocupava em questionar o pequeno ladrão.

O tempo passou e o garoto cresceu, a família foi prosperando às custas de roubos do filho.

De tempos em tempos chegava uma coisa nova da qual a família precisava.

Uma bicicleta, um carro, uma joia, uma peça de roupa, um sapato e assim foi por longos anos.

Fazendo o papel do pior cego, ou seja aquele que não quer ver, a mãe seguiu admitindo a situação.

O resultado do trabalho

Depois de anos, o jovem já havia relacionado felicidade a furtos. Até que um dia se deu mal.

Ele fora preso e estava passando por terríveis sofrimentos enjaulado. Depois, foi condenado a forca e apenas esperava o dia de sua morte.

Como seu último pedido, requisitou a presença da mãe em seu enforcamento.

Chegou o dia da morte, diante da multidão, gritou pela mãe e pediu ao carrasco que permitisse que ela se aproximasse pois queria beija-la pela última vez.

A mãe, temendo também ser presa e morta, se aproximou apavorada e ao mesmo tempo triste.

Já nos braços do filho sentiu uma dor esfuziante no rosto, quando se afastou, presenciou seu filho com uma pedaço de seu rosto na boca.

Então, admirada com o feito do filho e urrando e dor imediatamente questionou-o: porque fizestes isso com sua mãe que tanto lhe tem amor?

Eis o que o filho prontamente respondeu: maldita seja você como mãe, se me amasse haveria me corrigido quando era necessário, eu sempre furtava para lhe fazer feliz e você, sempre soube.

Depois, gritou para toda multidão ouvir: Hoje vou morrer, mas quem é culpado é essa mulher.

A mãe se retirou do local e não presenciou seu filho ser enforcado.

O dilema

Seria possível que a mãe, de propósito, manipulasse o filho para que ele furtasse aqueles bens?

Ou apenas desconfiava e permitia por saber que os furtos mantinham a felicidade familiar?

Bom, creio que depende da mensagem que se quer tirar desta história. Então, pode ser as duas coisas.

É evidente que a intenção de minha avó era me mostrar que a correção era algo bom.

Agora, para nós, é a questão ética que nos interessa.

Vamos presumir que a mãe se viu diante dos seguintes dilemas:

  • Quero aceitar o agrado do filho?
  • Devo aceitar o que ele fez?
  • E posso aceitar o suposto achado?

Bom, vamos continuar presumindo e neste caso, inferir que:

  • Considerando as circunstâncias da família, era evidente que a mãe queria o agrado do filho?
  • Em sua concepção, também entendeu que deveria aceitar, pois, do contrário, não poderia costurar o presente conforme havia prometido.
  • E por fim, ponderou que aceitar o  suposto achado não faria mal a ninguém, portanto, valia mais a felicidade do filho.

Após demonstrar felicidade com os “achados” do filho, a mãe acabava aprovando seu comportamento.

Mas onde está a conexão com código de ética do administrador 2018?

Eu sei, eu sei, você deve estar se perguntando o que essa história maluca tem a ver com código de ética do administrador 2018?

Bom, nada em particular se você não  levar em consideração o que um amigo meu chamado Epicuro defendia.

Epicuro era um filósofo e como todo filósofo ele não fazia p…..  nenhuma a não ser filosofar.

Mas o que exatamente Epicuro ensinava? Calma! Vamos ver agora.

A Ética de Epicuro

Epicuro se dedica a questão da felicidade e ao abordar o tema, estabelece uma relação entre as noções de ética e prazer.

A ideia de felicidade para Epicuro parte do principio de que: o homem é matéria, logo, encontrará a felicidade também na satisfação das realizações materiais.

Contudo, isso não significa obter somente bens materiais, para Epicuro, a felicidade também está diretamente relacionada com a ausência de dor, tanto no corpo quanto na alma.

Deste modo, saciar as necessidades do corpo e da alma depende de uma vida pautada na conduta ética, pois do contrário, o indivíduo pode até alcançar bens materiais, mas, terá a alma atormentada por ter alcançado a vitória tendo feito o mal ao próximo.

No caso de nosso amigo ladrãozinho e sua mãe, tudo o que eles mais buscavam era a felicidade.

A busca pela felicidade

Então, vimos que na filosofia de Epicuro a busca pela felicidade através de bens matérias (e isso incluí uma agulha) é totalmente legítima, afinal vivemos da matéria, somos matéria e quando morrermos continuaremos a ser matéria.

Compreenda matéria a partir daquilo que a tia de física tentava te ensinar.

É isso mesmo, o átomo. (Ou será que era na aula de Química?).

Então, é natural que você queira o carro do ano,  o namorada (o) mais top da pista, a casa ou apê pica das galáxias e blá, blá, blá.

E é  a mesma coisa que buscavam as personagens de nossa história. Ou seja,  a mãe e seu filho larápio só queriam ser felizes conquistando bens materiais.

Pode ser que você seja igual a figuras raras como a Madre Tereza ou o Gandhi, mas no geral,  duvido muito que você não aceitaria o iPhone do ano por R$ 10,00.

Portanto, não há delito, não há conflito, não há problema algum em querer crescer na vida e conquistar algumas coisinhas bacanas para tirar onda por ai.

O problema está em querer conquistar a riqueza material a qualquer custo e fazendo isso de forma antiética.

E afinal, qual é a utilidade de códigos de ética então?

Me diga ai, como é que você sabe se andou agindo de forma antiética por ai?

Você somente saberá se isso estiver escrito em algum lugar, concorda comigo?

Neste ponto precisamos combinar uma coisa. Vamos considerar antiética ético tudo aquilo que está escrito em algum lugar como proibido para você ou eu fazermos, ok?

Nos dois sabemos que há diferença entre o que se considera infração, má conduta ou até crime.

Se você comete uma infração o Órgão de trânsito vai atrás de você.

Se agir de forma incompatível com o código de ética da empresa, o patrão vai chutar o seu traseiro.

Agora se você é um (a) menino (a) muito má e iniciou um pequeno comércio de canábis, é certo que a polícia virá atrás de você.

Portanto, seja um(a) bom(a) menino(a), ok?.

O que quero dizer é que titio Epicuro estava certo, só há uma maneira de alcançar a felicidade buscando bens materiais, é agindo com ética.

Então para que serve afinal de contas esse raio de código de ética do administrador 2018?

Serve para te ajudar a não perder 4 ou 2 anos de parcela do dinheiro que pagou à sua faculdade.

Também evita que você acabe com sua carreira.

É por meio do código de ética do administrador 2018 que você sabe o que é o correto e o que é o errado.

Por meio dele você também saberá qual é castigo que você vai receber se agir conforme o que está estabelecido como proibido.

Então, não vá buscar a felicidade a todo custo. Não vá com muita sede ao pote, pois você pode morrer enforcado, digo, afogado.

Download do código de ética do administrador 2018

Aqui está o que prometi: Pode baixar o PDF da Resolução normativa CFA Nº 537, de 22 de março de 2018.

Se você chegou até aqui e não leu meu post, perdeu uma grande história e uma bela lição.

Não vá se dar mal por ai, leia o código de ética do administrador 2018 e não fique só nele, vá além.

Estude ética, moral aqui em nosso blog, temos muitos materiais que podem te ajudar.

Para finalizar eu preciso te perguntar e te pedir algo.

Gostou do artigo? Então comente aqui embaixo, nos dê um feedback para produzirmos materiais cada vez melhores.

E compartilhe este texto em suas redes sociais e com seus amigos administradores. Desenvolvemos conteúdos especialmente para nossa categoria profissional.

Espero que tenha ajudado você, fiquem com Deus e viva em paz.

Um abraço.