Burrice ou Incapacidade Profissional do Administrador?

Já dizia o ditado: Errar é humano, mas, permanecer no erro é burrice. No caso em questão é incapacidade profissional.

Continuando nossas conversas sobre o Código de Ética dos Administradores vamos falar hoje sobre algo que nos assusta.

A incapacidade profissional, chamada também de incompetência.

Ninguém gosta de admitir que não sabe ou não consegue fazer alguma coisa.

Mas, temos apenas uma certeza nessa vida, nós não sabemos tudo.

Então, qual é o problema em questão? Vem comigo descobrir.

O inciso XVIII do Art. 3º do Código de Ética dos Administradores

XVIII. incidir, no exercício da atividade, em erros reiterados que denotem inépcia profissional;

Bem, antes de começarmos a comentar sobre o inciso XVIII do artigo 3, precisamos entender as palavras que o compõem.

Para facilitar a compreensão vamos substituir as palavras usadas no inciso por:

  • Incidir – cair
  • Reiterados – repetidos
  • Denotem – signifiquem, indiquem, mostrem
  • Inépcia – Incapacidade, imbecilidade, estupidez.

Em uma linguagem mais simples, o inciso ficaria assim:

XVIII – Cair, no exercício profissional, em erros repetidos que indiquem incapacidade profissional.

Observe que o inciso não critica o administrador que comete um erro.

A infração administrativa é caracterizada por erros repetitivos, que poderiam ser evitados.

Mas, que não o são por incapacidade profissional mesmo.

Faço o que então?

No nosso artigo sobre o inciso XVII, Já agiu de má-fé hoje?, falamos justamente sobre um dos maiores erros das empresas ainda hoje.

O de colocar pessoas não qualificadas em cargos de coordenação, gerência e direção.

Se você assume um cargo ou função para o qual não está preparado corre grande risco de infringir o inciso XVIII do artigo 3 do CEPA.

Consequentemente será penalizado conforme o Capítulo VII.

Humildade é uma virtude

Em um mundo de aparências como o que vivemos hoje, ser humilde é um problema.

Ninguém quer passar a impressão de que é menor do que ninguém em nada.

Mas, ser humilde e admitir que ainda precisa melhorar mais em suas competências e habilidades não é uma vergonha.

Ao contrário, é uma qualidade, e muito rara.

Visto que, por tolice, a grande maioria prefere viver em um mundo de faz de conta.

Enquanto a sabedoria, de se ver como realmente é, leva a pessoa a buscar melhorar a cada dia seus processos e entregas.

A buscar qualificações e diferenciais que promovam seu crescimento como pessoa e profissional.

A ignorância de se ver maior, faz com que o indivíduo estagne.

Afinal, se eu já sei tudo, preciso melhorar o que?

Portanto, seja honesto com você mesmo.

Separe um tempo para analisar suas qualidades, experiências e conhecimento.

E se orgulhe deles.

Mas, também avalie todos os seus pontos fracos e levante soluções efetivas para todos eles.

Apenas com essa análise profunda é que você saberá exatamente do que é capaz e até onde pode ir no momento.

Isso não quer dizer que daqui há algum tempo você não poderá alçar vôos mais altos.

Pelo contrário, a ideia é justamente essa.

Descobrindo o que precisa ser melhorado, é que se trabalha para alcançar resultados mais efetivos.

No momento, avalie se a função ocupada por você é compatível com suas habilidades.

E se você almeja ser promovido já se qualifique para atender à todos os requisitos que o cargo exige.

Essas dicas irão te proteger. Não corra o risco de ser punido por ter ambicionado algo para o qual não estava preparado.

Um forte abraço.

Até breve.

Leia também nosso artigo: Tudo o que você precisa saber sobre o Código de Ética do Administrador.